20070816

Sim, eu vinha obscura...

Sim, eu vinha obscura
ao teu encontro.
Esta delicada mulher
cobria-se com um véu
do qual só tu poderias
vislumbrar o interior.
Esta delicada mulher,
de viés, pouco a pouco,
se desvencilhou
do negrume d'alma.
Eis-me aqui,
fêmea refeita.
Nos teus braços,
meu querido,
sinto-me eterna.
Entrego-me a ti
qual vívida flor.
Plena é a ternura
deste Amor.
Sim, um furor lívido!

1 na trincheira.

Rafael disse...

"Sentir é criar. Sentir é pensar sem idéias, e por isso sentir é compreender, visto que o universo não tem idéias."
(Fernando Pessoa)