20070926

Barbie, uma Ameaça ao Feminismo


"- Uma mulher de verdade deve ser perfeita - disse Barbie, com sua voz caramelada.
- Uma mulher de verdade deve estar sempre disponível e disposta a sacrificar seus interesses pessoais para ajudar os outros e, especialmente, suas amigas.

- Que coisa estúpida! - queixou-se Domitila.

Mas aquele comentário ofendeu Barbie. Imediatamente, sua expressão ficou séria e seu tom de voz, ameaçador.

- Jamais te queixes! - gritou, com os olhos fora das órbitas e com as veias do pescoço distendidas pela raiva. Mas em um instante voltou com um sorriso nos lábios e voltou a falar com ela em tom carinhoso, como se já não recordasse que Domitila a havia enfurecido há apenas alguns segundos antes.
- Uma moça não deve queixar-se - continuou dizendo. Uma moça sempre deve dizer que sim."
(Roc Alemany)

(VADE RETRO, "Barbie Girl"! Enquanto isso, as pessoas de plástico proliferam-se loucamente...)

Tua Cordélia

TUA CORDÉLIA
Sou a tua Cordélia

Carolina cor-de-rosa
Aquela que ama e silencia.

Sou a tua Cordélia
Palidez comovente
Eloqüência que te reverencia.

Sou a tua Cordélia
Chama que jamais se apaga
E a ti, meu amigo,
te renova.

Sou a tua Cordélia
Aquela que, ao sol poente,
suspira em verso-prosa
E por ti, meu amigo,
te espera e se cala.

20070925

NIiliSmU pRuxXx MigUxXxUxXx!!!!!

"UxXx instintuxXx di ReGreXXAum ApOdERAram-Si DUxXx INstIntuxXx di PROgrEXXaUM
A vOnTaDI voLTadeenhAh pRu NaDAh si aPOdeROw daH VONtaDI vOltAdeenHaH prU ViVe
- seraH IXXU VerDAdeIRU??!?! SerAh KI NaUM HaH 1 GAranTIaH MaIor daH vidAH...DAH EspECIE...neXXAh viTOriah DUxXx fRACuxXx I dUxXx MediaNUxXx??!?!
- sERAH ki iXXu nAuM eH...tALVez...aPeNAxXx 1 1/2 NU movImenTu GLOBaU pRah ViDAh...1 rItaRdAnu??!?! 1 atITUdi dI auTOdEfezaH KonTRAh Algu ainDAh pior??!?!
- dIgamUxXx Ki uxXx ViGOrOsUxXx TiVeXXI si AXXENhOReaDU di tUDu...INCLUSiVi DUxXx JUizUxXx di valoR: AXXUmiriAmuxXx nUxXx axXx koNSequenciAxXx SobrE kOMu ElExXx pEnSAriAm A ReSpeiTU DI doEnXXAH...sofRiMEntU...saCRIFICiU??!?! 1 AutodesPreZu DUxXx frAcuxXx sEriAH A rESUlTanTi: estIxXx tRAtaRIaM di dIsAParEcE i DI sI exXxtIngUI.................. I SERAh KI IXXU SERIah...tALVeZ...diSEJaVEU??!?!..................
- i SEraH KI nUxXx REalmENtI keREriamUxXx 1 muNdU nU Kau fALtArIAh A sequElaH duxXx fRacuxXx...A Suah fINuRAH...A sUAh korTESiah...eSpIriTUaLiDAdI...fLexXxIBiLiDadI??!?!.................." (papaI FrIedRIxXx WILhELm nIeTZSxXxE)

(POTZ! Agora, sim, o mundo tá perdido MESMO!)

20070924

Um Belo Mote

Have a junkie day!

Em Prol da Apostasia Universi(o)tária

Oh, que peninha das tão obedientes vaquinhas de presépio!
Engolem a seco as idéias de seus pastores (ai deles!) e ruminam suas próprias vísceras... Vazias!
"Mestres-Doutores-Ph.D.s-e-o-caramba-a-quatro": vamos! Convido-os ao nobre trabalho de encher lingüiças com a vileza dessas pobres criaturas!
AMÉM!

Sinceridade e Pureza

"Sorriso bom, só de dentro
Ninguém é bom sendo o que não é
Eu, pra ser feliz com mentira,
Melhor que eu chore com fé."
(Taiguara - "Piano e Viola")

20070919

Frágil mente envenenada...

Frágil mente envenenada
Pobre criatura!
Onde está a tua vontade?
Onde está a tua coragem?
Pobre mau-caráter!
Tua força, meu bom selvagem,
É a veemente imaturidade.

Déspotas e Vassalos

Ah, máquinas entre tantas outras... Nós vos amamos, queridas e imundas proliferadoras de mentes plastificadas!
Amamos a (R)evolução!
Amamos a Destruição!

(Hahah! VIVA O ESTABLISHMENT!)

Bifurcações Abissais

E eis que subitamente as rotas se alteraram. Duas inquietas almas e um encontro. As mãos se atraíram num gesto de coragem e diante da dor recriaram seu bálsamo. Renovação. Agora caminhamos juntos em direção a um antro desconhecido. Deste cáustico pós-guerra emerge a arte de viver. Somos fortes. É hora de reconstruir sobre o abismo. Celebremos, pois, os desafios!

20070917

Elogio à Mediocridade

"A parte mais feia do teu corpo é a tua mente." (Frank Zappa)

20070914

Escambo, o escambau!

Mocinha do caixa: "É pra entregar?"
Mocinha consumidora: "Não. É só pra enfeitar. Daqui a pouco, tudo será devolvido às suas respectivas prateleiras..."

(Silêncio. Olhar de soslaio versus rubor facial.)

Mocinha do caixa: "Balinha de troco?"
Mocinha consumidora: "NÃO! Ou quer que na próxima vez eu traga saquinhos de balas pra pagar as compras?"

(Silêncio. Ruídos consumistas ao fundo. Sorriso irônico versus mãos repletas de moedas catadas, uma a uma.)

Virtuose Negligente

"Eu não respeito mais os leitores: como pude escrever para leitores?... Mas eu me anoto, para mim." (Friedrich Wilhelm Nietzsche)

Bulimianorexia Embol(or)ada

Preciso vomitar
antes que o Establishment
trans(de)forme-me
em bolo fecal.
Laxar!
Esporrar!
Desintoxicar!
É tudo a mesma merda...

Nome de remédio: "LEXICAL"?

(VIDE BULA!)

20070910

Vãs e agonizantes criaturas...

Vãs e agonizantes criaturas
emergem de minh'alma
Burlei a mentirosa embriaguez
e não mais ouço meu brado
ante estas tão dolorosas suturas
Belas são as incertezas
duma frágil e doentia mente
Amigos, eis o nosso maior fado:
enfrentar a própria lucidez.

20070904

Criança Falida

A sinceridade e a pureza não se encaixam nos moldes mundanos.

Jazzística

O Improviso é bem diferente da jaguarice* do gratuito ruído.

(Meu feeling é cacofônico.)

* A título de maior "compreensão"... Jaguarice: caráter de jaguara.
Jaguara: [Do tupi-guar.]
S. m.
1. Bras. PR RS Vira-lata (1).
2. Bras. PR Pessoa ordinária, de mau caráter.
(Dicionário Aurélio)

20070903

O Hadouken de Jim Morrison

"I'm the Lizard King... I can do anything!" (James Douglas Morrison)

(HOHOH! Quem é o Akuma perto disso?)

Auto-implosão

O silêncio nos faz ouvir o próprio grito.
(Explosão contida?)

Indigestão

Desbastando e ruminando idéias. (D)esculpo... Ou simplesmente ENGULO?

Reflexos

O Príncipe e a Rosa, o Sol e a Princesa...
O Príncipe doura sua Rosa e a Rosa "rosa" seu Príncipe.
Jogo de espelhos em idem e vice-versa.
Infinito.

Pam & Jim


"I think I was once
I think we were

Your milk is my wine
My silk is your shine"

(James Douglas Morrison)

20070901

Uma Rosa entre tantas outras...


"Vós não sois absolutamente iguais à minha rosa, vós não sois nada ainda. Ninguém ainda vos cativou, nem cativastes a ninguém. Sois como era a minha raposa. Era uma raposa igual a cem mil outras. Mas eu fiz dela um amigo. Ela é agora única no mundo". (Antoine de Saint-Exupéry - "O Pequeno Príncipe")