20071031

Convulsão

CONVULSÃO
Ao vislumbrar as sendas da memória
esbocei, uma a uma,
as mais pérfidas imagens
Lembranças maculadas
por sangue desferido a navalhadas.

Convulsiva, cerrei as fendas da história
com o bálsamo do perdão
Enterrei, uma a uma,
as celas da vertiginosa visão
Alegorias sufocadas,
mortes finalmente ilhadas.

Encerradas em telas.

4 na trincheira.

Rafael disse...

Mega, ultra, hiper, micro, baixas calorias,
kilowats, gigabites
Traço de audiência
Tração nas quatro rodas
E eu, o que faço com esses números
Eu, o que faço com esses números

E nessa terra de gigantes
(eu sei, já ouvimos tudo isso antes)
A juventude é uma banda
Numa propaganda de refrigerantes.

Feérica Fuzilêra disse...

O FÁCIL É O CERTO
(Titãs)

Expire o ar que inspirar
Respire quando você respirar
Diga o que tem a dizer
Acaba sendo o que tinha que ser
Esqueça isso - tanto faz
Ande, não olhe pra trás
Olhe por onde anda
Faça o que o coração manda
Diga como é que se sente
Levante-se, siga em frente
Faça o que está fazendo
Não o que estou lhe dizendo
Use se quiser usar
Use depois de agitar
É proibido parar
Olhe antes de atravessar
O fácil é o certo, o certo é o fácil
O fácil é o certo
O fácil é o certo, o certo é o fácil
O fácil é o certo
O fácil é o certo, o fácil é fácil
O fácil é o certo
O fácil é o certo, o certo é certo
O fácil é o certo
Não importa o que você fez
Há sempre uma próxima vez
Não se perca, não pare
Escolha o menor dos males
Faça o que quer fazer
Aconteça o que acontecer
Tanto faz como se chama
Entregue-se ao que você ama
O fácil é o certo, o certo é o fácil
O fácil é o certo
O fácil é o certo, o certo é o fácil
O fácil é o certo
O fácil é o certo, o fácil é fácil
O fácil é o certo
O fácil é o certo, o certo é certo
O fácil é o certo

Lelenita disse...

ai q vontade de ver essas telas...

Henry Claude disse...

La anarquy Sr. La Ferrique, cortinas incendiadas,
incidiosos incestos,
semáfaros, broquéis e faróis,
hóstia negra e feral,
fálicos fantoches e fanzines,
fantasmas e fantasias,
o fatalismo do fim,
em frases fúteis e efemeras...
tudo isso gira, gira, gira...
eterno carrosel do tempo.