20100225

Esquizo

ESQUIZO
Esvazio-me de mim mesma
enquanto vislumbro um pueril semblante:
desfigurado, distorcido, rebelado,
refletido numa garrafa de qualquer veneno.

Combalida, percebo-me indiferente.
Então percorro, lentamente, as sendas mentais.
Mas, oh! São tão débeis e vagas, tais cenas!

Admiráveis imagens, repletas de atitude e estupor,
agora tornam-se aliadas aos meus sentidos.

Mas, oh! Sou tão bela ante meus ais!
Alívio? Um punhal acompanha-me, lado a lado,
e reflito-me nele, a banir a gentil dor.

Desesperadamente, transformo-me em espelho.
Narciso afogou-se perante sua leda juventude!

Mas, oh! Retorno, agora, ao Inferno de Dante,
espelhada em mim mesma.

2 na trincheira.

Tomas disse...

Carolina,
estou admirada com sua habilidade com as palavras. Parabéns.
Yêda

Feérica Fuzilêra disse...

Obrigada, Yêda!
Grande beijo!