20110225

Eu-enquanto-minha


EU-ENQUANTO-MINHA
Cansada de pensar difícil,

surgiu-me uma saída.
Entre eles e os outros,
cristalizei-me menina.
Enquanto criança, frágil,
preferi-me assim:
intacta, imóvel, além-fóssil.
Ah, e lembro muito bem!
Apelidei-me Carolina!


Imagem: Longe de ser tatuagem! É desenho meu, feito a caneta esferográfica. E só Deus sabe aquilo que acontece através da verde redoma.

2 na trincheira.

Cláudio J. Gontijo disse...

E como ocorreu a grande mutação ?

E por quê ?


Felicidade, sempre.

Feérica "Psychedella" Fuzilêra disse...

É questão de observar o vir-a-ser, sempre. Você bem sabe, meu caro!

Grande abraço! Felicidades pra ti também!