20110407

Horror


"Mais de 20 crianças foram baleadas por um homem que entrou atirando nesta quinta-feira (7) em uma sala de aula na Escola Municipal Tasso da Silveira, na Rua General Bernardino, em Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro. Na fuga, o atirador se deparou com policiais militares que participavam de uma blitz na rua e houve troca de tiros. Ele foi baleado no abdômen e acabou se suicidando. As crianças feridas foram levadas para o Hospital Estadual Albert Scweitzer, em Realengo."

Fonte: aquiacontece.com.br

O atirador (Wellington Menezes de Oliveira, 24 anos) trouxe consigo uma carta, onde dizia ser um "homem puro" e que tinha a consciência de que não sairia vivo da escola. Wellington pediu na carta que fosse enterrado junto de sua mãe adotiva, e que não deixaria que "pessoas impuras" nele tocassem. Ele ainda levou um lençol branco para que seu corpo fosse carregado.

Segue um vídeo feito por vizinhos da escola, instantes após os disparos que mataram treze estudantes.

Resta-nos a solidariedade e o apoio às famílias das vítimas.


[Ah, e não deixem de conferir a "construtiva" opinião do colunista Walter Hupsel. Babaca com pedigree! Horrendo!]

5 na trincheira.

Ramon Lamar disse...

De quanta imbecilidade o homem é capaz?

Feérica "Psychedella" Fuzilêra disse...

A resposta a essa pergunta torna-se cada vez mais incerta.
Imprevisível humanidade!

Que Deus tenha misericórdia desse pobre diabo e traga alento às vítimas e suas famílias.

Feérica "Psychedella" Fuzilêra disse...

Walter Hupsel parece um adolescente blogueiro que se alimenta dos comentários de seus fiéis "súditos". Estrelinha do mundo virtual.
E o seu texto? Inconsistente, relapso, raso!
Filosofia barata, clichês falidos!
E olhe que este foi o meu primeiro contato com a criatura. Nunca tinha ouvido falar sobre ele, nunca tinha lido nada de sua autoria, até então.

Advertência: leitores, jamais confiem na primeira fonte de pesquisa! Muitos já sabem disso, mas não custa nada ressaltar.

Cláudio J Gontijo disse...

Tentar explicar é colocar a sua visão como o acontecimento maior.
Acho que o silêncio, a oração, a misericórdia(que vc sugeriu)e as lágrimas podem preencher tudo.

Admiro a sua sinceridade, Carolina.

Feérica "Psychedella" Fuzilêra disse...

A sinceridade que compartilhamos, Cláudio, é algo raro.